Era Líquida Moderna

Era líquida e Nutrição de Lead

As velhas identidades que por muito tempo perpetuaram no mundo social estão em declínio. Novas identidades surgem diariamente, fazendo com que o sujeito moderno seja fragmentado e possua sentimentos culturais que mediam essas identidades e sua construção continua.

Para uma melhor compreensão, é preciso compreender o caminho cronológico que levaram ao que chamamos atualmente de liquefeito da contemporaneidade.

Lançamento do livro: Carecas do Subúrbio: Identidade Nacional e Produção Artística

No sábado, 18/abr/2015, ocorreu o lançamento do Livro: Carecas do Subúrbio: Identidade Nacional e produção artística. Leia a introdução e entenda do que trata a obra.

O tema acompanha a autora há vários anos e caracteriza a coragem com que mergulhou no universo de sua pesquisa. Entrou no universo dos Carecas, conversou, participou dos sons (nome dado às festas Carecas onde fazem o encontro de suas bandas musicais), entrevistou, chamou-os pelo nome; anotou o que viu. De maneira inversa ao ouvir dizer, para compreender esta realidade, estabelece sua relação reflexiva aproximando-se de seu sujeito, reunindo emoção e a abordagem acadêmica. Neste contexto, retomou as origens do movimento dos Carecas do Subúrbio, construindo desde o movimento inglês de 1969, suas diferentes ramificações e sua chegada ao Brasil, quando na década de 1970 a indústria cultural favoreceu a divulgação do movimento pelo mundo. A autora buscou localizar o movimento pelo mundo. A autora buscou localizar o movimento em São Paulo, compreendendo suas crenças e ideologias.

Sentidos antropológicos referentes à Cultura

Chauí (2006) apresenta três sentidos antropológicos principais que se referem à cultura:

1º) A criação da ordem simbólica da lei, isto é, de sistemas, de interdições e de obrigações estabelecidas a partir da atribuição de valores a coisas (bom ou ruim, perigoso, sagrado), às relações humanas (diferença sexual, a proibição do incesto, virgindade etc) e aos acontecimentos (significado da guerra, da fome, nascimento e morte, peste etc);

Renata Matias possui Bacharelado em Comunicação Social com ênfase em Publicidade e Propaganda pela Universidade Cruzeiro do Sul (2009), Mestrado em Políticas Sociais pela mesma Universidade (2012), Doutoranda em Ciências Sociais na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC e cursa especialização em Docência no Ensino Superior na Universidade Cruzeiro do Sul. Atua na área de comunicação tendo experiência construída desde 2007,  aonde iniciou sua carreira como publicitária. Está inserida, sem vinculo empregatício, no grupo de pesquisa Linguagens e Cidade da Universidade Cruzeiro do Sul, que tem como objetivo compreender as realidades atuais através de suas representações tradicionais ou marginais, geográfica, política e poética, na qual a análise e a crítica do sistema globalizado operam a fragmentação e a diferenciação cultural das cidades. Os temas de interesse de pesquisa são: Antropologia, Políticas Sociais, Juventude, Tribos Urbanas, Identidade, Movimentos Juvenis.


Matias, Renata. São Paulo, SP, Brasil